Ouça agora na Rádio

foto-locutor

Buscando...

Buscando...

Locais/Regionais

Compartilhe agora

Família disponibiliza na internet todo o acervo de Vinicius de Moraes

Postado em 25 de maio de 2021 por

Feature image

*Fonte imagem : Foto Vinicius de Morais*


O cuidado da família de Vinicius de Moraes com sua obra era constante. “O primeiro poema escrito por ele, aos 8 anos, é um dos documentos que estarão no Acervo Digital, assim como seus últimos escritos”, comenta Julia Moraes, neta e idealizadora do projeto. “O zelo era dele também, pois é possível acompanhar a evolução criativa, por exemplo, do poema ‘O avesso’: há várias versões escritas ao longo de 10 anos, é um mapa da criação. E não são só acertos, ali estão os erros também. Acredito que isso valorize todos os artistas.”

inicius, de fato, era perfeccionista e não sossegava enquanto não atingisse o resultado considerado ideal. Especialmente quando compunha letras de canções. “É possível notar como ele era rígido em buscar a métrica correta, a sílaba tônica ideal para a melodia”, observa Marcus Moraes, sobrinho-neto do poeta e responsável pela coordenação técnica e design do Acervo Digital, que nasceu a partir do desejo de preservar digitalmente o arquivo, incentivar a pesquisa e democratizar o acesso à obra de Vinicius.

VIAGEM

Pesquisar o vasto material criado pelo artista representa uma viagem no tempo e também geográfica. Afinal, homem afetuoso e aberto a novas amizades, Vinicius passou por Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Ouro Preto, Montevidéu, Buenos Aires, Paris, Oxford e Los Angeles, entre outras cidades, seja na função de diplomata, seja em excursões como músico.
Nesse trajeto, manteve contato com as mais diversas figuras, de Mãe Menininha do Gantois a Orson Welles, de Baden Powell a Pablo Neruda, sem se esquecer dos grandes parceiros, como Tom Jobim e Toquinho.

Quando o Acervo Digital estiver disponível, a partir desta quinta-feira (27/5), fãs e pesquisadores poderão conhecer a magnífica escrita de Vinicius em ordem cronológica. Isso permite notar com mais clareza sua evolução e, principalmente, como o poeta passou de uma evidente preocupação religiosa no início da carreira para temas mais mundanos, como o cotidiano das pessoas e, principalmente, as relações amorosas.
“Será possível também fixar sua trajetória em um determinado momento, como, por exemplo, descobrir tudo o que Vinicius escreveu no ano de 1968”, explica Marcus.

O acervo está dividido em três grandes séries. A primeira, “Correspondência”, compreende cartas, cartões e telegramas recebidos tanto de amigos como de figuras relacionadas ao seu trabalho como diplomata.

É curiosa a troca de informações que Vinicius mantinha com seus colegas escritores, caso de uma carta enviada a Manuel Bandeira em que o poeta solicita leitura crítica de seus poemas. Em outra, pede a opinião sobre versos de “Pátria minha”, com receio de ter problemas políticos.
JOBIM Será possível também se divertir com a troca de confidências com grandes amigos, como na carta em que Tom Jobim comenta com Vinicius a exigência de um produtor francês para que a dupla compusesse mais rapidamente canções que formariam a trilha sonora do filme “Orfeu negro” (1959), dirigido por Marcel Camus e que ganhou o Oscar de melhor longa estrangeiro.
“Na carta, descobre-se que o tal produtor anunciava que contrataria um músico mais veloz na criação e que seria Dorival Caymmi. O texto termina com um há há há”, diverte-se Julia, lembrando que o grande cantor e compositor baiano era conhecido pela falta de pressa para criar seus clássicos.

A segunda série, “Produção intelectual”, traz documentação abrangente, que revela o extenso campo de atividades às quais Vinicius se dedicou ao longo da vida: poesia, textos em prosa, artigos, peças, letras de música, shows, roteiros de cinema, discursos, entrevistas e traduções.

Assim, será possível observar as diferentes versões do roteiro de “Les amants de la mer” e detalhes da produção até o roteiro final de “Garota de Ipanema”.

”O conjunto dos documentos tem o tamanho da vida de Vinicius, que produziu poesia, além de material para cinema e teatro, e que, na vida pessoal, teve uma infinidade de amigos, com quem manteve uma vasta troca de correspondência”

Julia Moraes, idealizadora do Acervo Digita

ACERVO DIGITAL/VINICIUS DE MORAES Onze mil documentos poderão ser consultados a partir de quinta-feira (27/5), no site www.acervo.viniciusdemoraes.com.br. Não há áudios e vídeos.

Deixe um comentário

Ao enviar um comentário você concorda com nossas politicias de comentários, saiba no link ao lado. política de comentários